Os preços do trigo seguem em alta e renovando as máximas nominais nas regiões acompanhadas pelo Cepea – no Rio Grande do Sul, especificamente, as médias atuais são recordes reais. Segundo pesquisadores do Cepea, os valores são impulsionados pela baixa oferta doméstica, pela menor produção na Argentina e na Ucrânia e por preocupações quanto à menor oferta mundial. Ressalta-se que o movimento de alta foi verificado mesmo diante da desvalorização do dólar frente ao Real, que favorece a importação, e de informações indicando maior safra na Rússia. No campo, agentes estão focados na semeadura da nova safra. Na semana passada, com a chegada de uma forte frente fria, produtores estiveram em alerta, mas, no Paraná, os indicativos são de que as baixas temperaturas registradas no período favoreceram as lavouras de trigo, à medida que ajudaram no controle de pragas e de plantas invasoras. 

Fonte: Cepea