As exportações de café solúvel do Brasil alcançaram o equivalente a 318 mil sacas de 60 kg em janeiro de 2022, volume que representa alta de 4,5% na comparação com o primeiro mês do ano passado. Os embarques geraram uma receita cambial de US$ 52,580 milhões ao país, registrando substancial evolução de US$ 40,8% frente aos US$ 37,336 milhões de janeiro de 2021. Os dados são do relatório estatístico mensal da Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics).

De acordo com Aguinaldo Lima, diretor de Relações Institucionais da entidade, o desempenho reflete uma leve melhora no cenário logístico e, principalmente, a resiliência das fábricas brasileiras.

“A capacidade de produção das indústrias nacionais de café solúvel se destaca e permite que o Brasil siga honrando seus compromissos e mantendo seu market share, mesmo diante de preços da matéria-prima substancialmente elevados e da persistência dos gargalos logísticos. Janeiro, ao menos, foi um pouco melhor em relação à disponibilidade de contêineres, mas o espaço nas embarcações segue desafiador”, comenta.

DESTINOS

No primeiro mês deste ano, o Brasil exportou seus cafés solúveis a 83 países, com os Estados Unidos sendo o principal cliente do produto. Os norte-americanos importaram 65.651 sacas em janeiro, o que representa 20,9% do total. Na sequência, vêm Rússia, com 33.449 sacas (10,6%); Myanmar, com 29.140 sacas (9,3%); Japão, com 17.946 sacas (5,7%); e Argentina, com 14.251 sacas (4,5%).

TIPOS

Os principais tipos de café solúvel remetidos ao exterior em janeiro de 2022 foram spray dried, com 203.116 sacas (63,9% do total); freeze dried, com 108.147 sacas (34%); “extratos”, com 6.719 sacas (2,1%); e coffee preparation, com o equivalente a 18 sacas (0,01%).

CONSUMO

O consumo de café solúvel no Brasil, em janeiro, recuou 3,1%. Os brasileiros consumiram o equivalente a 56.380 sacas, levemente abaixo das 58.200 sacas registradas no primeiro mês do ano passado.

“Ainda assim, a expectativa é que haja evolução ao longo do ano devido às ações que a Abics realiza, como a campanha ‘Descubra Café Solúvel, e aos investimentos feitos pelas indústrias, que constroem novas plantas fabris e ampliam seu leque de produtos aos consumidores, ofertando, cada vez mais, qualidade e diversidade de preparo, evidenciando a versatilidade do café solúvel”, conclui Lima.

Fonte: ABICS