DÓLAR VALORIZADO FAVORECE EMBARQUES

A exportação de melão da safra brasileira 2021/22 começou lenta. Porém, nos últimos meses – em especial em novembro, que registrou o maior volume mensal –, os envios decolaram, fazendo com que a quantidade parcial exportada na campanha seja a terceira maior da série histórica da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

A parcial da safra (agosto a novembro) totalizou 125 mil toneladas, aumento de 11% frente ao mesmo período da campanha passada, segundo a Secex. Já a receita, em dólar, somou US$ 83 milhões (FOB), alta de 13% na mesma comparação. Particularmente, em novembro, o volume foi de 48 mil toneladas, quantidade 6% maior que a de outubro e 29% superior à de novembro do ano passado.

Considerando os dados anuais, o cenário é ainda mais positivo, batendo o recorde na mesma série histórica mencionada acima. De janeiro a novembro, as exportações foram de 214 mil toneladas, com receita de US$ 137 milhões (FOB), ambos com aumento de aproximadamente 5% frente ao recorde anterior – de 2019, em volume, e de 2017, em receita.

Segundo agentes consultados pelo Hortifruti/Cepea, os bons resultados se devem ao dólar valorizado frente ao Real, à boa demanda externa e ao desânimo de produtores quanto ao comércio doméstico (custos elevados e preços baixos). Espera-se que os envios sigam em bons patamares até as festas de final de ano, quando devem recuar, visto o menor funcionamento dos portos.

Fonte: hfbrasil.org.br e Secex