Milho: cotações sobem reagindo ao clima

O indicador do milho do Cepea, calculado com base nos preços praticados em Campinas (SP), teve um dia de preços levemente mais altos. A cotação variou 0,01% em relação ao dia anterior e passou de R$ 97,48 para R$ 97,49 por saca. Portanto, no acumulado do ano, o indicador teve uma alta de 23,95%. Em 12 meses, os preços alcançaram 96,95% de valorização.

Na B3, a alta foi mais intensa que no indicador do Cepea e os contratos futuros do milho reagiram ao clima frio em regiões produtoras brasileiras. O ajuste do vencimento para setembro passou de R$ 96,11 para R$ 97,15, do novembro foi de R$ 96,89 para R$ 98,11 e o do março de 2022 subiu de R$ 98,18 para R$ 99,46 por saca.

Soja: saca sobe pelo sétimo dia consecutivo

O indicador da soja do Cepea para o porto de Paranaguá (PR) chegou ao sétimo dia consecutivo de alta. A cotação variou 0,66% em relação ao dia anterior e passou de R$ 170,89 para R$ 172,01 por saca. Dessa forma, no acumulado do ano, o indicador valorizou 11,77%. Em 12 meses, os preços alcançaram 47,31% de alta.

Em Chicago, o dia foi marcado por preços mais altos para os contratos futuros da soja, porém, as cotações ficaram longe das máximas, pois recuaram no final do pregão. O vencimento para novembro subiu 1,15% e passou de US$ 13,726 para US$ 13,884 por bushel. Dessa forma, este avanço não foi capaz de compensar a queda do dia anterior.

Fonte: Canal Rural