Os valores da lima ácida tahiti seguiram em alta, devido à menor oferta. Nesta semana (07 a 11/06), a variedade registrou média de R$ 19,25/cx de 27 kg, colhida, aumento de 15,7% frente à do período anterior.

A demanda industrial, por sua vez, também está auxiliando no controle da oferta e, principalmente, na seleção das melhores frutas para o segmento in natura. Atualmente, três processadoras de pequeno porte estão recebendo a fruta (nas cidades paulistas de Duartina, Engenheiro Coelho e Itajobi), remunerando de R$ 20,00 a R$ 22,00/cx de 40,8 kg, colhida e posta na fábrica.

Já para a laranja do  mercado in natura, apesar de o início do mês tipicamente elevar a demanda, a frente fria que vem passando pelo estado de São Paulo limitou a procura pela fruta. Na semana, a média da laranja pera foi de R$ 32,04/cx de 40,8 kg, na árvore, queda de 4,6% frente ao período anterior. As expectativas, porém, são de quedas menos acentuadas, ou até mesmo recuperação nos valores, à medida que o processamento industrial se intensifque, reduzindo a disponibilidade de laranjas para mesa – principalmente de precoces.

Quanto à tangerina poncã, a procura continua firme em São Paulo, superior à de outras variedades de cítricos. Por outro lado, os preços permanecem mais restritos: a poncã foi negociada a R$ 28,48/cx de 27 kg, recuo de 2,3% em relação ao período anterior.

Fonte: hfbrasil.org.br