Apesar das restrições de circulação de pessoas impostas para o controle da pandemia no Brasil, que limitam o comércio de HFs, o mês de abril tem sido marcado por melhores preços do tomate aos produtores, se comparados a março. Este cenário se dá, principalmente, pela menor oferta do produto, por conta da desaceleração da safra de verão e início ainda lento da temporada de inverno. Assim, a valorização frente a março, na parcial do mês (até o dia 27/04), é de 27%, à média de R$ 34,02/cx (ponderado por classificação) – o valor também está 19% acima dos custos de produção, que registram média de R$ 28,53/cx.

Ainda que a oferta esteja aumentando gradualmente nas lavouras de inverno, por conta da entrada de mais áreas em período de colheita, a maturação dos frutos segue controlada, devido às temperaturas amenas. Neste mês, Araguari (MG), Pimentas (MG), Paty do Alferes (RJ), Sumaré (SP) e Mogi Guaçu (SP) iniciaram a colheita de inverno.

No geral, nas praças acompanhadas pelo Hortifruti/Cepea, as expectativas de produção são positivas, principalmente devido ao clima propício (ameno e seco). Assim, os tomates estão com boa qualidade e, em sua maioria, graúdos e sem defeitos decorrentes de problemas fitossanitários – os quais seguem controlados na maior parte das áreas, tanto em termos de pragas quanto de doenças, sendo registrados apenas alguns focos, contidos por eficiente controle.

Fonte: hfbrasil.org.br