Os contratos futuros do açúcar fecharam ontem (14) com forte alta nas bolsas internacionais, em meio ao otimismo amplo nos mercados financeiros após dados mostrarem que a inflação dos Estados Unidos não está subindo tão rápido quanto se temia diante da reabertura econômica no país, destacaram analistas ouvidos pela Reuters. Com esse otimismo, a commodity bateu a máxima de três semanas.

O contrato maio/21 do açúcar bruto fechou, na ICE de Nova York, cotado ontem em 15,86 centavos de dólar por libra-peso, alta de 43 pontos no comparativo com a véspera, ou 2,8%. Já a tela para julho/21 foi comercializada em 15,88 cts/lb, valorização de 38 pontos. Os demais contratos subiram entre 21 e 37 pontos.

Ainda segundo a Reuters, operadores disseram que o açúcar avançou em meio ao cenário macroeconômico positivo e às incertezas em relação à produção do Brasil nesta temporada. “Um corretor baseado nos Estados Unidos disse que o consenso no mercado é de que a produção brasileira recuará mais de 7% no ciclo atual”.

A trading e consultoria Czarnikow disse que as exportações da Índia alcançaram um recorde em março, a 1,2 milhão de toneladas.

Açúcar branco

Em Londres a quarta-feira também foi de alta em todos os lotes do açúcar branco. O vencimento maio/21 foi comercializado em US$ 441,60 a tonelada, valorização de 17,40 dólares no comparativo com os preços do dia anterior, alta de 4,1%. Nos demais lotes a valorização oscilou entre 4,80 e 12,90 dólares na tonelada.

Açúcar cristal

No mercado interno o açúcar cristal fechou em alta nesta quarta-feira pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos foi negociada em R$ 106,29, contra R$ 105,67 da véspera, alta de 0,59% no comparativo entre as datas.

Etanol hidratado

O etanol hidratado também fechou em alta pelo Indicador Diário Paulínia. Ontem, o biocombustível foi negociado em R$ 2.655,00 o m³, alta de 3,03% no comparativo com a véspera.

Fonte: Agrolink