Os produtores brasileiros aceleraram mais a transformação digital de suas operações que seus pares estadunidenses ou europeus desde o início da pandemia de Covid-19. A conclusão é da pesquisa “A mente do produtor brasileiro na era digital – Pulso 2021”, divulgada na semana passada pela McKinsey.

Enquanto por aqui, 46% dos agricultores já realizam compras on line, 10% mais que há um ano, apenas 31% nos Estados Unidos e 22% na Europa fazem o mesmo, um aumento de 7% nas duas localidades no mesmo período.

Os dados comparam levantamentos sobre o tema em 2019, junto a 750 produtores, e 2020, já sob influência da pandemia, com um grupo de 564 agricultores de perfil similar. Entre eles, estão produtores de algodão, grãos, hortaliças, cana-de-açúcar e ca de todas as regiões do país.

Digital

Segundo a consultoria, o produtor digital brasileiro é jovem, administra grandes propriedades e já possui propensão a vender online. No caso de algodão, por exemplo, a disposição em vender a safra on line é compartilhada por 84% dos gestores.

Em outras culturas, o índice cai, mas segue alto. No caso de grãos no Cerrado e em Matopiba, 74% pretende vender ao menos parte da safra por plataformas on line, enquanto 68% dos produtores de hortaliças farão o mesmo. Produtores de cana têm o menor índice com 31%.

O tamanho das propriedades também influencia a adoção de ferramentas digitais. Aqueles com mais de 2.500 hectares usarão o on line em 73% dos casos para compra de insumos e em 81% para venda da produção. Estes índices caem para 22% e 57% entre os menores de 50 hectares.

WhatsApp

Outro aspecto levantado pela pesquisa é sobre as ferramentas digitais mais utilizadas. O WhatsApp é usado para atividades ligadas à produção por 55% dos entrevistados, enquanto sites e e-mail, 2%, “não se lembraram”, 4% e plataformas, 6%.

Sobre este ponto, a McKinsey concluiu que “as plataformas agrícolas estão crescendo em importância, mas ainda são altamente fragmentadas, sem players consolidando o mercado”.

Além disso, 62% dos entrevistados apontaram uma boa experiência no site como a principal razão para escolher uma plataforma. Finalmente, altos custos (52%), falta de infraestrutura (26%) e falta de entendimento (26%) são os principais obstáculos para mais adoção tecnológica pelos produtores.

Fonte: Agevolution