As praças produtoras de São Paulo, Cerrado e Nordeste estão no período de plantio da safra 2021 de cebola. Em Irecê (BA), as atividades tiveram maior concentração em janeiro, enquanto no Vale do São Francisco (PE/BA) o semeio tem sido mais escalonado. Na Bahia, o clima é favorável aos trabalhos, com chuvas bem espaçadas – e, segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea, as precipitações registradas nas primeiras semanas de fevereiro não causaram prejuízos. Por outro lado, em Mossoró (RN), a condição climática é de estiagem, com índice pluviométrico inferior ao do mesmo período do ano passado, cenário que pode prejudicar os preparativos para a temporada.

Em Monte Alto (SP), o transplantio das mudas se iniciou em fevereiro, enquanto o plantio direto está previsto para o final de março. Já em São José do Rio Pardo (SP), produtores tentaram adiantar o semeio para colher no período de entressafra. A colheita de cebola nas praças paulistas está prevista para a segunda quinzena de junho. No Cerrado (MG e GO), os plantios foram antecipados para janeiro, no intuito de aproveitar melhores preços no período de entressafra, uma vez que, nos últimos dois anos, as cotações de cebolas colhidas entre o final de abril e junho foram bastante atrativas.

No Triângulo Mineiro, especificamente, o atraso na chegada de insumos dificultou a semeadura e parte dos produtores migrou para o sistema de transplantio e bandeja. Em Cristalina (GO), os trabalhos se reduziram na primeira semana de março, na comparação com o ritmo registrado nos meses de janeiro e fevereiro, em decorrência das fortes chuvas na região. O início da colheita em Goiás está previsto o final de abril, e no Triângulo Mineiro/Alto do Paranaíba, para meados de maio.

De modo geral, os fatores climáticos estiveram propícios aos trabalhos em todas as regiões produtoras até o momento – o que pode garantir uma produtividade satisfatória para a safra 2021.

Fonte: Cepea/Hortifruti