No último ano, as culturas agrícolas tiveram preços históricos. Em especial no arroz, os valores se mostraram positivos ao produtor depois de anos de perdas. O mercado também será tema da 31ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz e Grãos em Terras Baixas, que ocorre de 9 a 11 de fevereiro de forma híbrida, presencial na Estação Terras Baixas, da Embrapa Clima Temperado, em Capão do Leão (RS), e online.

Na tarde da quarta-feira, 10 de fevereiro, ocorrerá o painel “Cenários de Curto e Longo Prazo para o Arroz e a Soja”. O palestrante será Carlos Cogo, consultor em Agronegócios na Cogo Inteligência em Agronegócio. Conforme o especialista, o arroz atingiu um novo patamar de preços ao longo de 2020, ano marcado pela pandemia da Covid-19. “O Brasil aproveitou bem este momento para fazer fortes exportações, a demanda interna cresceu, o consumo de arroz dos brasileiros se expandiu rapidamente e os preços mudaram de patamar”, salienta.

No evento, Cogo vai apresentar cenários que vão mostrar se os preços do arroz seguirão sustentados nas próximas temporadas e a inserção do Brasil como grande player global exportando grandes volumes de arroz, assim como já embarca grandes volumes de soja. “Esses dados são importantes para a tomada de decisão do produtor para poder fazer a gestão de sua propriedade em relação às tecnologias, em relação às inovações que estão chegando, a intensa digitalização dos processos de compras de insumos e comercialização”, destaca.

Conforme o consultor, o cenário continuará sendo otimista para o setor que hoje trabalha integrado com sistemas de produção como a soja e a pecuária. “Prometemos tendências, mercados, oportunidades, desafios, com uma visão objetiva e clara do que podemos esperar para o arroz nessa abertura da colheita e para a cultura da soja, que vem acompanhando o arroz nestes últimos anos”, ressalta.

Fonte: Ascom