De maneira geral, a citricultura paulista registrou preços bons em 2020. Com a menor produção de laranjas em 2020/21, a necessidade de matéria-prima por parte da indústria continuou alta ao longo do ano, fator que sustentou os valores da fruta. Além disso, no segundo semestre, chuvas abaixo da média limitaram ainda mais a oferta. Apesar de positiva, a rentabilidade ao citricultor deve ser prejudicada pela menor produtividade.

Para a lima ácida tahiti, os valores caíram apenas durante o pico de safra, permanecendo em patamares mais altos em boa parte do ano – no segundo semestre, especialmente, a produção do foi menor e o clima desfavorável acentuou a baixa oferta.

Fonte: hfbrasil.org.br