Em 2020, a área de melão foi ligeiramente menor. O ano começou com manutenção da superfície da safra principal (de abril a julho) no Vale do São Francisco (BA/PE), pois o incremento esperado não se concretizou, devido às chuvas frequentes e à pandemia da covid-19, que preocuparam produtores. Esse cenário resultou em leve queda de 5% na área da safra 2020/21 do Rio Grande do Norte/Ceará (de agosto a março).

Por outro lado, houve maior foco nas exportações, visto que o dólar forte garantiu boa rentabilidade. Com isso, a oferta no mercado doméstico ficou restrita, o que poderia alavancar os preços se não fosse os entraves da pandemia no funcionamento de algumas atividades e na economia.

Fonte: Cepea/Hortifruti