O plantio da safra 2020/21 de soja chegou na quinta-feira (10) a 95% da área prevista para o Brasil, contra 90% uma semana antes e 96% no mesmo período do ano passado. Com os trabalhos na reta final nos estados de calendário mais tardio – Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Matopiba –, o foco agora é nos efeitos do clima sobre o desenvolvimento das lavouras.

As chuvas que estavam previstas para a semana passada se confirmaram em boa parte das regiões produtoras do país. Ainda que de forma irregular, bons volumes foram registrados no Centro-Oeste, Sudeste e no Paraná. As precipitações vieram em boa hora para as áreas plantadas nas últimas semanas e também para as poucas lavouras semeadas mais cedo, que começam a entrar em fase reprodutiva.

No Rio Grande do Sul, Santa Catarina e nos estados do Matopiba, por outro lado, os volumes foram mais tímidos, mas a umidade ainda presente no solo garantiu o avanço da semeadura e boas condições de desenvolvimento inicial para as  lavouras, exceto em alguns pontos do Matopiba, que devem passar por replantio. 

Estimativa de produção

Na semana passada, a AgRural reduziu sua estimativa de produção de soja na safra 2020/21 do Brasil em 600 mil toneladas, para 131,6 milhões de toneladas, devido a um corte de produtividade em Mato Grosso. Uma revisão extra será feita ainda neste mês de dezembro, em complemento à revisão tradicional, devido ao atraso no plantio desta safra.
 

Fonte:  AgRural