Entre os dias 09 e 13/11, o tomate salada longa vida 3A, caixa de 18-20 kg, ficou em R$ 88,47 (-10,71%) na Ceagesp, em R$ 99,37 (-12,32%) em Campinas/SP, em R$ 102,61 (+0,18%) no Rio de Janeiro/RJ e em R$ 85,42 (+5,45%) em Belo Horizonte/MG – neste último atacado, embora a média tenha fechado com ligeira alta frente à semana anterior, as cotações caíram ao longo dos dias. Os recuos se devem à intensificação da segunda parte da safra de inverno em Sumaré (SP) e no Sul de Minas (MG) e, também, à safra de verão em Itapeva (SP) e ao início desta mesma temporada em Venda Nova do Imigrante (ES). Atacadistas relataram ao Hortifruti/Cepea a entrada de mais frutos verdes do que maduros nesta semana, o que contribuiu para a desvalorização – parte dos produtores está colhendo os tomates antes do estágio ideal de maturação, para aproveitar o alto patamar de preços. Além disso, com a demanda mais fraca, ainda em função da pandemia, a sustentação dos valores é dificultada. A expectativa para as próximas semanas continua sendo de desvalorização, já que a safra de verão tende a se intensificar e as temperaturas, a subir, com a proximidade do verão.

Fonte: Cepea/Hortifruti